sábado, 21 de maio de 2011


Eu tinha razões, motivos reais e óbvios para te amar. Você me encantava todo dia, com uma surpresa diferente, me enxia de cartas, e me lotava de músicas, e não parava de escrever Laís te amo, na parede, do papel, no portão. Ligação de bom dia e boa noite era primordial. E apesar de ser um completo egoísta, um completo orgulhoso, e uma pessoa super difícil de ser conviver, e que se esconde atrás de coisas. Você era bom em tudo, mesmo não querendo ser bom em nada.
[...] Amava seus erros por mim, assim como amava mais ainda os acertos, porque enfim, eu te amava por inteiro, e ainda te amo.

Laís Nunes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário